sexta-feira, março 20

Considerações sobre...

...ter um bebezinho em casa.
- O dedo indicador da gente em geral tem cheiro de Hipoglos.
- Coisas bobas como fazer coco, arrotar e dormir se tornam preocupação e motivo de felicidade (e são comemoradas).
- Começamos a perceber melhor a intensidade dos barulhos da casa e da rua em que moramos.
- Nos damos conta que desde pequenos temos dias com mais e menos fome ou sono.
- O que os psicólogos dizem podem até servir de base, mas a intuição tem muito mais serventia.
- Não adianta dizerem que cada choro é diferente porque na maioria das vezes não é.
- O tempo ganha uma dimensão diferente, às vezes voa e às vezes congela.
- O mesmo truque não funciona duas vezes seguidas.
- Bebezinhos são um caso à parte em termos de sons. Eles espirram, soluçam, arrotam, soltam pum, balbuciam e são capazes de nos surpreender com diversas formas de fazer isso. Imagino que meninos então vem com um acessório do tipo amplificador, porque sinceramente não imagino uma guriazinha fazendo o que já presenciei.
- Incrivelmente a gente não tem o mínimo nojo de ser alvo (e ter que limpar a lambuzeira que eles fazem) são vômitos, cocos, xixis e babas de variadas cores e consistências que ainda por cima precisamos cuidar.
- E, por fim, só se compreende isso tendo um. Quem não tem um pode ler e se surpreender como a gente muda ao ler isso depois que tem.

2

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home